Arquivo | Saúde feminina RSS feed for this section

HPV

26 mar

Uma em cada quatro brasileiras está contaminada pelo HPV.

O dado, fornecido pelo Hospital do Câncer de São Paulo, mostra que é grande o número de mulheres com o papilomavírus, causador de 95% dos casos de câncer de colo de útero.

O sexo não é a única forma de transmissão dessa doença, mas é a principal.

Ela também pode ser passada por roupas íntimas, instrumentos clínicos mal esterilizados e contato com a pele.

Tem que ter o contato de pele com pele. Uma verruga, em um determinado lugar do corpo, pode transmitir HPVpara outra pessoa, se ela entrar em contato com o ferimento.

Encontrado na pele e nas mucosas genitais de homens e mulheres, pode ser transmitido pelos três tipos de sexo: vaginal, anal e oral. Seu diagnóstico é difícil, pois muitas vezes o vírus permanece adormecido no corpo da pessoa, e só se manifesta quando a imunidade está baixa.

Ele evolui de maneira discreta e atinge a pele e mucosas.

Muitas vezes o vírus é visível através de verrugas no local contaminado, mas é importante realizar uma avaliação médica, no qual o ginecologista além de examinar, se necessário, solicitará a confirmação do vírus através de exames como papanicolau, colposcopia e biópsia.

Existem alguns exames específicos para procurar o vírus no corpo das pessoas.

A colposcopia, que examina a vagina; a peniscopia, que é feita no pênis; a vulvoscopia, na vulva; e a anuscopia, que é realizada no ânus.

O material é colhido e analisado para que possa ser feito o diagnóstico.

Também é feito um exame de HIV, para garantir que nenhuma outra doença tenha sido transmitida. A primeira lesão pode aparecer no local infectado entre cinco e quarenta dias após o contágio.

O tratamento é feito de acordo com o paciente, sua idade e a evolução da doença. Uma gravidez também pode alterar os procedimentos.

Pode ser medicamentoso, mas geralmente é utilizado um tratamento local com cauterização.

Existem atualmente vários métodos como laser ou ácido colocado na lesão, realizados no próprio consultório médico.

A duração depende do progresso da doença.

Os tipos de HPV que provocam verruga não costumam gerar câncer no útero. Por isso a gente faz muito papanicolau no Brasil. Ajuda a detectar a doença, quando não aparecem as verrugas.

Para evitar o contágio sexual, é necessário o uso de preservativo.

Nada mais simples. Mas existe uma ressalva: a transmissão é feita pelo contato da pele.

Ou seja, a parte que a camisinha não cobre, pode passar ou pegar o HPV. Por isso são necessários exames de rotinas em ginecologistas e urologistas e muita atenção ao surgimento de verrugas e coceiras nos órgãos genitais.

Como sempre, é importante lembrar o uso de preservativo e de exames médicos.

HPV é uma doença séria e cada vez mais comum.

Manias incontroláveis {T.O.C}

21 fev

Oi meninas,  me perdoem pela ligeira ausencia, mas esse fds que passou, precdisei unica e excludivamente me dedicar a assuntos pessoais e de força maior! rs

Voltei pra falar sobre manias, afinal, de medico e doido todos temos um pouco…

Verificar várias vezes se a roupa que deixou no guarda-roupa está do mesmo jeito, lavar as mãos seguidamente, se preocupar excessivamente com a limpeza da casa, nunca deixar um chinelo virado, esperar a ultima gota pingar na sua boca ao sair do chuveiro.

Esses e outros comportamentos semelhantes podem, na verdade, constituir sintomas do chamado Transtorno Obsessivo Compulsivo ou TOC.

Quem não sofre ou nunca sofreu com suas ridiculas manias incontroláveis?

TOC é um transtorno que tem base neurobiológica, ou seja, acontecem alterações no funcionamento cerebral. Pode ser que níveis insuficientes de serotonina estejam envolvidos de maneira preponderante no surgimento dos sintomas, mas apenas estudos genéticos poderão definir algum dia os genes que predispõem o aparecimento deste problema, que pode se tornar bastante grave.

O paciente com TOC sofre com medos, pensamentos irracionais e repete atos.

A principal característica da doença é a presença de obsessões: imagens, impulsos ou pensamentos que invadem a mente e que são acompanhados de ansiedade ou desconforto.

Relato de uma amiga: “Eu não dormia sem estar com o mesmo pijama todas as noites. Achava que, se eu não o colocasse, algo de ruim aconteceria na minha vida. Também passava cinco vezes o xampu nos cabelos. Me consultei com psicólogos e psiquiatras até chegar ao diagnóstico de Transtorno Obsessivo Compulsivo”.

Segundo especialistas, essas obsessões geradas por pensamentos estranhos são ações criadas pelo doente para “trazer alívio”. O paciente tenta “‘neutralizar”‘ a situação de mal-estar com um comportamento diferente, que não faz sentido para os outros.

Geralmente, os primeiros sintomas aparecem por volta dos 14 ou 15 anos de idade nos pacientes do sexo masculino e na faixa dos 25 aos 35 anos no feminino. Porém, o Transtorno Obsessivo Compulsivo também pode ter início na infância.

O primeiro passo para a pessoa vencer a doença é aceitar que algo está errado.

A pessoa que sofre de TOC tem vergonha das suas atitudes e angústias. Isso acaba se tornando um incômodo. É essencial ter compreensão, principalmente dentro de casa para superar.

Atualmente, a maneira mais eficaz de controlar o mal é com o consumo de antidepressivos – que elevam os níveis de serotonina -, terapia comportamental ou cognitiva, psicoeducação e apoio familiar.

Esses recursos atenuam os sintomas, mas a melhora tende a ser demorada. Não podemos dizer que há cura. É uma questão de tratamento e controle. Se a pessoa se controla, melhora. Caso contrário, não.

Famosos que sofrem de TOC

O cantor Roberto Carlos costumava entrar e sair de um ambiente sempre pela mesma porta, não usava roupas da cor marrom e nem assinava contratos na fase minguante da Lua. Com tratamentos, o cantor passou a se sentir melhor.

Luciana Vendramini sofre do mesmo distúrbio. A atriz criou “rituais” para começar bem o dia, tomar banho e comer. Em razão das suas manias, ela já ficou horas debaixo do chuveiro. A doença também foi controlada por meio de tratamento especializado.

O apresentador Jô Soares confessou recentemente em seu programa que sofre de TOC. Aos 69 anos, Jô afirma que contraiu a doença com a idade e, atualmente, todos os quadros da casa dele têm de estar levemente tombados para a direita.

Câncer de mama na juventude

11 fev

Infelizmente preciso tocar no assunto que afeta cada vez mais nós, mulheres: o câncer de mama.

Quem já teve casos na família sabe a dor que passamos ao conviver com pessoas que padecem ou um dia ja padeceram disso.

Apesar de não existirem estatísticas oficiais, médicos e entidades ligadas a pacientes de câncer de mama vêm observando que, atualmente, a doença atinge a um número maior de mulheres abaixo dos 40 anos.

Várias razões podem estar ligadas à maior incidência do câncer de mama em mulheres mais jovens, como o maior acesso à informação, o que as faz detectar o problema mais cedo do que ocorria antigamente.

Uma amiga teve o câncer diagnosticado aos 38 anos, sem apresentar histórico familiar da doença, e há 11 anos submeteu-se à cirurgia.

Cerca de 10 a 15% dos casos acontecem quando há história de câncer de mama na família.

Mas de 85% a 90% das causas são desconhecidas.

Por isso, é sempre importante que todas as mulheres realizem o auto-exame e peçam ao seu médico que prescreva a mamografia.

No Brasil, o câncer de mama é a segunda doença que mais mata as mulheres, perdendo apenas para os problemas cardiovasculares.

Vemos que antigamente o câncer aparecia na faixa etária dos 70 anos.

Mais tarde, passou a ocorrer com mais frequência aos 60 e, agora, é muito comum acompanharmos casos de mulheres até os 50 anos com a doença. E muitas chegam a apresentar, sim- não posso deixar de lamentar a ignorância de inúmeras mulheres em relação ao assunto.

Há as que dizem que não querem ficar se cutucando e outras que nem mesmo vão buscar os resultados dos exames pedidos pelos médicos. Isso é um erro que pode custar uma vida.

Vários fatores podem facilitar o desencadeamento do câncer de mama, como o excesso de exposição à radiação, vida sedentária, dieta desequilibrada, primeira gravidez após os 30 anos, menarca (primeira menstruação) antes dos 12 anos, menopausa tardia, fumo, álcool, terapia de reposição hormonal sem orientação e acompanhamento médico, nuliparidade (nunca ter engravidado).

O ideal, é que até os 30 anos as mulheres realizem pelo menos uma ultrassonografia das mamas.

Entre os 30 e 35, deveriam fazer uma mamografia de base, para ser utilizada como parâmetro durante as próximas que realizarem durante a vida. O câncer de mama é silencioso e impiedoso. Quando ocorre em mulheres mais jovens, vemos maior dificuldade no resgate da auto-estima. É preciso combatê-lo com informação.

Siliconadas

5 fev

Recentemente, a principal evolução da plástica de mama tem a ver com o material da prótese que antes era liso, o que poderia provocar irregularidades, e agora é rugoso.

O gel interno, que antes era líquido, se escapasse podia se espalhar pelos órgãos e se misturar à corrente sanguínea, o que poderia causar infecções graves. Agora, a prótese é recheada de gel, que não se mistura à corrente sanguínea, num caso excepcional de vazamento.

Hoje, a técnica apresenta menos riscos de encapsulamento. Problema que acontece quando a membrana que se forma naturalmente ao redor da prótese se contrai, deixando a mama mais arredondada, dura, com aparência artificial e dolorida.

Quadros como esse são cada vez mais raros.

O gel, que tem o nome coesivo, proporciona um melhor resultado também no que diz respeito ao tato. A promessa é que a mama fique tão macia ao toque quanto uma que não foi operada.

Além da segurança, os avanços possibilitam esculpir o busto exatamente da maneira desejada.

O formato da prótese de silicone também passou por mudanças. Primeiro, veio a forma redonda e depois o formato de gota.  Agora, a forma cônica é opção.

Como o próprio nome diz, ela lembra um cone por causa da base reta e larga e das laterais que vão afinando em direção à aréola. O desenho, que foi inspirado no sutiã de enchimento, deixa o resultado mais discreto e projeta o mamilo.

Essa é a melhor opção para quem busca um resultado mais natural. De acordo com o médico, suas bordas finas oferecem uma transição suave com a caixa torácica, isso evita degraus visíveis, que evidenciam que a mulher tem próteses.

Independentemente do modelo de prótese escolhido, para que o resultado final fique natural, é preciso levar em conta uma série de critérios, como as proporções de cada paciente e a quantidade de pele disponível para cobrir o silicone.

A maneira de colocar o implante também varia. Há a opção de colocação da prótese por traz do músculo peitoral, isso normalmente ocorre nos casos das pacientes com pouco tecido para a cobertura das próteses. Tanto para um melhor resultado estético como para uma melhor proteção dos implantes. Nas pacientes com uma boa quantidade de tecido glandular ou gorduroso a preferência é pela posição por cima do músculo.

A via de acesso escolhida para a implantação depende de vários fatores como tamanho e cor das aréolas, características de cicatrização e até a preferência da paciente.

As opções são via axilar, aerolar e sub-mamário.  Por via axilar apresenta um pós-operatório mais delicado, mas é muito procurada por jovens que querem aumentar o busto, sem mexer nas aréolas. Após a anestesia, o médico faz uma incisão de três a quatro centímetros na dobra da axila e introduz o implante.

Por ser um processo cirúrgico a colocação da prótese exige anestesia, o que assusta muita gente. Na maioria das vezes a anestesia não é geral, mas sim local com sedação.

Porém é importante dizer que a anestesia geral moderna, quando necessária, é absolutamente segura, desde que realizada por um bom profissional e em um ambiente seguro. Em qualquer caso a presença do anestesista é imprescindível.

Aaaai q ardência! {cistite}

1 fev

A infecção urinária é, até certo ponto, bastante comum entre as mulheres, e quem já teve sabe o quanto incômoda ela pode ser.

A ardência na hora de urinar é o principal sintoma, mas também existem casos de cistite assintomática.

Nesse caso a percepção do problema se dá com o aumento da frequência de idas ao banheiro.

Você tem a sensação de que está precisando muito ir ao banheiro, mas só consegue fazer um pouquinho de xixi.

A urina mais escura, bem amarelada, e a sensação de peso na barriga também são sintomas.  

Entre as causas principais está a falta de higiene.

É importante limpar-se sempre da frente para trás após defecar e lavar a região peri-anal após as evacuações.

Excesso de relações sexuais também pode ser um causador do problema por causa do atrito, nesse caso leva até o nome de cistite de lua de mel (que romântico rss).

Outros causadores desse tipo de infecção são a baixa imunidade, baixa ingestão de líquido e hábitos errados comuns entre as mulheres como ficar muito tempo com o biquíni molhado, o que aumenta a umidade da região e facilita o aparecimento das infecções, e o uso de calças muitos justas, por causa do atrito na região.

Para prevenir o problema é importante consumir muito líquido, de um a dois litros/dia.

Não segurar muito o xixi, é importante ir ao banheiro várias vezes por dia e também evitar roupas molhadas e justas.

No caso de ter sintomas do problema, procure um médico para saber qual o melhor tratamento.

De qualquer forma, aumente o consumo de líquidos.

Hipotireoidismo X Hipertireoidismo {tireóide}

27 jan

 

A glândula localizada na parte anterior do pescoço e que tem o formato de borboleta teima em funcionar mal em 20% da população, segundo dados da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM).

E é bom mesmo ficar atenta se a tireoide está produzindo a quantidade correta dos hormônios T3, ou tri-iodotironina, e T4, a tiroxina- afinal, eles repercutem no corpo todo, desde o coração, passando pelo cérebro, rins e fígado, até no metabolismo, nos ciclos hormonais, na disposição e no humor.

Para garantir o bom funcionamento do organismo, confira os sinais que ele dá quando a produção hormonal é excessiva, doença conhecida como hipertireoidismo, ou abaixo do necessário, classificada como hipotireoidismo:

Hipotireoidismo

*Sinais: dá para desconfiar que a tireoide está produzindo hormônios em quantidade insuficiente quando

– o intestino fica preguiçoso

– o coração bate mais devagar (você vive cansada)

– a memória falha

– a menstruação se torna irregular

– sente dores musculares

– pele seca,  queda de cabelo

– tristeza sem motivo aparente

– sonolência no meio do dia 

– o peso e os níveis do colesterol aumentam mesmo que a sua dieta seja equilibrada.

Não só: as unhas também ficam quebradiças, o cabelo fraco e caindo, a pessoa perde o apetite e fica menos tolerante ao frio.

*Por que eu?

Há três motivos para o problema acontecer. Pode ser devido a uma doença autoimune que, por um erro do sistema imunológico, causa inflamação da tireoide.

Como resposta, o organismo passa a produzir anticorpos contra as células tireoidianas, destruindo a glândula ou reduzindo sua atividade. O mal também pode aparecer quando há falta de sintonia entre a tireoide e o TSH, o hormônio estimulador da tireoide; ou pela carência ou excesso de iodo na dieta – a substância é essencial para a produção dos hormônios da tireoide e é encontrada no sal de cozinha e em alimentos de origem marinha, como ostras, moluscos e peixes de água salgada.

* Para resolver

 É preciso procurar um endocrinologista para fazer exames que dosam a quantidade dos hormônios tireoidianos e de TSH.

Se ficar constatado que a pessoa tem mesmo hipotireoidismo é indicado um medicamento para repor o hormônio que a tireoide deixou de fabricar. Regra geral, ele deve ser tomado durante toda a vida, e os resultados são muito bons.

Hipertireoidismo

– Sinais: Dois dos efeitos clássicos da produção exagerada de hormônios são

– os olhos saltados, que dão a sensação de que a pessoa está assustada

– e o aumento do metabolismo (daí a explicação para a paciente perder peso de forma rápida e repentina)

– ficar agitada,  inquieta, nervosa, ansiosa.

– suar frio

– ter insônia

– descontrole emocional

– intestino solto

– fraqueza muscular

-perda de cálcio nos ossos

– depressão

-aumento dos batimentos cardíacos

*Por que eu?

Segundo a SBEM, a causa mais comum do hipertireoidismo é a Doença de Graves, que surge quando o sistema imunológico começa a produzir anticorpos que atacam a própria glândula tireoide.

*Para resolver

O diagnóstico inclui exames de sangue e dos níveis do TSH, enquanto o tratamento associa medicamentos, para reequilibrar a produção hormonal, e uso de iodo via oral ou cirurgia, para eliminar de forma parcial ou total a glândula tireoide. 

Autoexame da tireoide

1. Diante do espelho, apalpe o pescoço na região logo abaixo do pomo de adão, o popular gogó: ali está a sua glândula tireoide.
2. Coloque um pouco de água na boca e incline o pescoço para trás, para que a glândula fique mais exposta.
3. Beba o líquido para que a tireoide suba e desça e, sem confundi-la com o gogó, sinta se há algum caroço ou saliência. As alterações indicam a necessidade de procurar um especialista.

Fonte: Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM)

Notinhas rápidas {fonte: Folha Equilíbrio}

23 jan

Café da manhã caprichado não ajuda a comer menos ao longo do dia (Folha de São Paulo 20/11/2011)

A teoria de que um café da manhã caprichado ajuda a comer menos pelo resto do dia é um mito, segundo uma pesquisa publicada no “Nutrition Journal”. Pesquisadores da Universidade de Munique, na Alemanha, examinaram os hábitos alimentares de cerca de 400 pessoas.

A informação foi publicada no site do jornal britânico “The Independent” nesta segunda-feira.

Ao longo de duas semanas, os participantes foram solicitados a registrar tudo o que eles comeram e beberam. Alguns sempre comiam muito no café da manhã, outros comiam pouco e alguns ainda pulavam a refeição.

Os pesquisadores descobriram que pessoas que ingeriam mais calorias no café da manhã não deixaram de comer em outras refeições. Os dois grupos –que comiam bastante na refeição e que comiam pouco– consumiam a mesma quantidade de calorias no almoço e no jantar.

—————————————————————————————————————————

Comer distraído afeta sensação de saciedade (Folha de São Paulo 17/01/2011)

Checar e-mails enquanto almoça? Comer assistindo televisão? Você pode acabar comendo mais do que imagina.

Pesquisadores fizeram com que 22 voluntários comessem uma refeição enquanto jogavam paciência no computador, enquanto outras 22 pessoas comiam a mesma refeição no mesmo período de tempo, mas sem estarem distraídos. Eles disseram aos participantes que se tratava de um teste sobre os efeitos da comida na memória, mas na verdade estavam analisando o índice de satisfação das pessoas após uma refeição, quanto elas comiam num “teste de gosto” 30 minutos depois e com que sucesso conseguiam se lembrar exatamente do que comeram. Os resultados foram publicados on-line no “American Journal of Clinical Nutrition”.

As pessoas que comiam distraídas não apenas foram as piores em se lembrar do que tinham consumido, mas também se sentiram significativamente menos satisfeitas depois do almoço, mesmo depois que os pesquisadores controlaram fatores como peso e altura. Nas sessões de teste de gosto, meia hora depois, eles comeram cerca de duas vezes mais biscoitos do que os que tinham almoçado mais concentrados, sem jogar paciência.

“Se for possível evitar comer diante de uma tela de computador ou qualquer outra atividade que o distraia, isso pode moderar a tendência a lanchar mais tarde do dia”, disse Jeffrey Brunstrom, principal autor do estudo.

Brunstrom, que é pesquisador de nutrição comportamental da Universidade de Bristol, na Inglaterra, disse que o problema reside em relembrar o que comemos.

“A memória desempenha um papel importante em regular o consumo de alimentos”, ele disse, “e a distração durante a alimentação causa perturbações nesse sentido”.

————————————————————————————————————————–

Caminhar pode ajudar a reduzir desejo de fumar e de comer (Folha de São Paulo 07/01/2011)

Se sua promessa de Ano Novo foi eliminar um mau hábito ou reduzir a quantidade de alimentos e perder alguns quilinhos, um truque simples, porém negligenciado, pode ajudar: caminhar. Quanto às estratégias de perda de peso, esta não é a mais glamurosa, mas estudos descobriram que uma caminhada acelerada ao redor do quarteirão pode aliviar significativamente os “desejos”, seja por junk food ou acender um cigarro.

Num estudo de 2008, pesquisadores recrutaram um grupo de pessoas que comiam chocolate regularmente –indivíduos que comiam pelo menos duas barras de chocolate por dia– e os fizeram passar por um período de três dias de abstinência. Então os pesquisadores dividiram os participantes em grupos, colocando-os para trabalhar em testes cognitivos difíceis para aumentar o nível de estress e tentando-os com barras de chocolate já sem embalagem.

Os pesquisadores descobriram que, se os participantes caminhavam por 15 minutos numa esteira, a um ritmo acelerado, mas sem ser cansativo, eles tinham muito menos probabilidade de sofrer de “desejos” e até apresentavam menor pressão arterial quando manuseavam barras de chocolate.

Em outros estudos, os cientistas observaram os efeitos de caminhadas rápidas sobre o desejo de fumar. Um estudo de 2005 mostrou que os fumantes que eram instruídos a se absterem do cigarro por um dia tiveram rápidas reduções na vontade urgente de fumar quando faziam caminhadas “de baixa intensidade, em seu próprio ritmo” por pelo menos 15 minutos.

Outro estudo, de 2007, mostrou que caminhadas rápidas não apenas reduzem a vontade de fumar, mas também os sintomas de abstinência, além de aumentarem o tempo entre um cigarro e outro.

Conclusão: Estudos mostram que uma caminhada acelerada pode aliviar o desejo de fumar e ajudar a combater um mau hábito.